Livro sobre artroplastia total do joelho

Image

Acabei de ler um interessante livro sobre o balanço ligamentar na artroplastia total do joelho ( prótese de joelho )  .

Acrescentou-me alguns conceitos interessantes numa das cirurgias mais realizadas na ortopedia .

Através destes conceitos, o sucesso da cirurgia fica mais fácil de ser atingido . Vale a pena conferir ,  para aqueles que tem na sua rotina a realização deste procedimento . Apresenta uma visão francesa , bastante respeitada no mundo.

Seguem no link maiores detalhes do livro .

Cotovelo do tenista ou epicondilite lateral : dicas

Como ortopedista e como praticante de tênis , estou muito acostumado com esta ” doença ”  , também chamada de tennis elbow.
A epicondilite lateral é  bastante comum entre os praticantes desta modalidade e é difícil de encontrar um tenista amador que nunca tenha sentido algum tipo de dor no cotovelo .
Darei algumas dicas a seguir , baseados no meu conhecimento médico e também como jogador que já teve sua “carreira” atrapalhada , em algum momento ,  por este mal .

- uso da raquete : depois que comprei uma raquete “especial “para epicondilite , da marca Prokennex kinetic, meu cotovelo respirou aliviado . Acho que vale o investimento .  Não é uma raquete barata , mas quem tem epicondilite sabe o quanto isto atrapalha .  A dor , em alguns casos , chega a afetar  o desempenho profissional ( incomoda para digitar , carregar uma mala , cumprimentar uma pessoa e até para fazer cirurgias ! ) . Existem muitos  outros fatores técnicos a respeito do equipamento , que podem ser melhor compreendidos no seguinte artigo :

http://www2.uol.com.br/tenisbrasil/instrucao/seujogo/ciencia/ciencia-03.htm

- respeite a dor , não exagere nas horas jogadas , evite dias seguidos sem descanso ;
- faca um fortalecimento adequado dos membros superiores ;
- tente melhorar a técnica do backhand  ;


- procure ajuda médica , o uso de medicamentos e fisioterapia são fundamentais em alguns casos ;
- em algumas situações , não tem jeito – você terá que ficar afastado das quadras por um bom tempo – 2 a 3 meses até resolver esta inflamação ;
- gelo pode ser usado , com alívio da dor.

-  uso de cotoveleiras ( tensores ) : não costumo indicar  , alguns jogadores relatam um pouco de conforto quando o usam ;

-  existem infiltrações , com corticóide ou com prp ( plasma rico em plaquetas ) que podem ser indicadas , prefiro deixá-las para situações extremas .

Lipomas e ortopedia

Os lipomas são tumores benignos formados por tecido gorduroso .  Não são muito frequentes , mas também não são de ocorrência tão rara . Muitas vezes os pacientes procuram um ortopedista relatando o aparecimento de uma caroço , normalmente indolor , outras vezes procuram um dermatologista , um cirurgião geral ou cirurgião plástico . Podem ocorrem em diversas partes do corpo , sendo a região do dorso ( costas ) e dos ombros os  locais mais acometidos .

O diagnóstico é simples , pelas características de palpação , de caráter indolor ; logo suspeitamos pelo exame físico desta patologia . A ultrassonografia ou a ressonância magnética podem complementar o diagnóstico .

O tratamento mais utilizado inicialmente é a orientação e simples observação : como é um tumor benigno e quase sempre indolor , normalmente a cirurgia não é necessária . Deixamos esta opção para aqueles casos em que há uma desconforto local (dor) ou quando há um crescimento acelerado do tamanho do lipoma . A questão estética também pode ser uma indicação  para a cirurgia .

A cirurgia remove o tumor e também confirma sua natureza , se realmente é um tumor benigno , através da análise anatomo-patológica .

File:Lipoma 06.jpg

Lipoma volumoso de 8 cm de diâmetro , observe a consistência gordurosa predominante

Microfraturas – o que são e para que servem ?

A microfratura é uma técnica cirúrgica utilizada no tratamento das lesões de cartilagem . Pode ser utilizada em qualquer articulação , mas é  mais comum para doenças do joelho , tornozelo e ombro . Quando um paciente tem uma pequena área da cartilagem danificada  ( artrose não generalizada  ), a microfratura pode ser realizada na tentativa de estimular o crescimento de nova cartilagem .

microfratura

Como ela funciona ?

A técnica da microfratura cria pequenos buracos no osso. A camada superficial do osso, chamado de osso subcondral, é dura  e pobre em fluxo de sangue. Ao realizarmos pequenos furos nesta camada dura, um microfratura permite que o osso mais profundo, ricamente vascularizado , possa acessar a camada superficial e criar um estímulo para que células cheguem à superfície e criem uma cartilagem nova .

Quem é um bom candidato para microfratura?

  • Pacientes com pequenas áreas de lesão na cartilagem
  • Os pacientes que estão ativos e não podem participar de seus esportes ou atividades por causa de sintomas
  • Pacientes com dor ou inchaço causados pela área danificada da cartilagem

Quem não é um bom candidato para microfratura?

  • Doentes com artrite da articulação generalizada
  • Pacientes que estão inativos
  • Pacientes que não querem participar de uma  reabilitação após microfratura

A microfratura funciona bem?

Sim, mas há mais do que isso ! A microfratura pode ser um excelente procedimento, proporcionando alívio substancial da dor quando feito no paciente certo.

Uma das preocupações com microfratura é que ela não estimula o crescimento da cartilagem articular normal. Existem muitos tipos de cartilagem  e um destes tipos , a cartilagem hialina ,  é normalmente encontrada na superfície da articulação. A microfratura estimula o crescimento de um tipo de cartilagem encontrada no tecido cicatricial  , que é a fibrocartilagem. Ao contrário da cartilagem hialina, a fibrocartilagem não tem a mesma força e resistência da cartilagem normalmente encontrada em uma articulação. Por conseguinte, existe uma possibilidade de que a cartilagem estimulada por um procedimento de microfratura não resista ao longo do tempo.

Como é um procedimento de microfratura é realizado?

A microfratura é realizada como parte de uma artroscopia.

Em primeiro lugar, a área da microfratura é preparada , removendo  qualquer cartilagem solta ou danificada. Idealmente, a área da microfratura deve ser  inferior a cerca de 2 centímetros de diâmetro e ter cartilagem saudável ao seu redor . Em seguida, o ortopedista faz pequenos orifícios  no osso , com instrumentos pontiagudos . O número de orifícios para microfratura criados depende do tamanho da lesão. A maioria dos doentes com uma área de 1 a 2 centímetros de danos requer 5-10 pequenos orifícios no osso.

Abaixo mostro um vídeo que ilustra como é feito este procedimento , neste caso , uma artroscopia do joelho:

O sucesso deste procedimento depende também de reabilitação após a cirurgia . A reabilitação deve proteger a área tratada pelo microfratura, bem como a manter a força e o movimento da articulação do joelho.

Existem alternativas para Microfratura?

Sim. Pacientes que são bons candidatos para microfratura também poderia ser bons candidatos para outros tratamentos para defeitos da cartilagem do joelho. Estas alternativas incluem a transferência de cartilagem ( mosaicoplastia ) e  implante de cartilagem .

Infiltração no ombro – veja como é

A infiltração no ombro pode ser usada em diversas situações : : tendinite , bursite , calcificação , ruptura dos tendões (ruptura do manguito rotador) , capsulite adesiva ou ombro congelado , artrose ou artrite degenerativa. Ajuda a aliviar a dor e melhorar a mobilidade articular. Deve ser feita após análise do ortopedista e após serem discutidas as vantagens e desvantagens com o paciente . É um procedimento rápido e feito no consultório .

Fratura da clavícula – tratamento conservador ( sem cirurgia )

Uma fratura com que o ortopedista frequentemente se depara é a fratura da clavícula.  E, dentre as fraturas da clavícula , as mais comuns são as que atingem a sua porção central ou diafisária. Estão relacionadas normalmente a quedas , a traumas esportivos e acidentes de trânsito .

Anatomia da clavícula

Tem uma evolução favorável na maior parte das vezes , exigindo uma imobilização como uma tipóia ou uma órtese em 8 . O tempo de consolidação varia dependendo do traço de fratura , da idade do paciente, podendo variar de poucas semanas até 3 meses .

Imobilização em 8 para fraturas da clavícula

Abaixo mostro as radiografias de uma fratura de um paciente de 15 anos , que fraturou a clavícula jogando bola. Foi tratado com a imobilização acima e depois de 2 meses apresentava sinais de consolidação óssea . É bem frequente o calo ósseo ser visível e o paciente relatar um ” caroço ” .

Raio-x inicial , mostrando pequeno distanciamento ósseo

Raio-x mostrando fratura consolidada , com calo ósseo de qualidade

Aspecto final da fratura , com discreta saliência óssea

Existem alguns casos em que o tratamento cirúrgico pode ser realizado , tais como :

- pacientes politraumatizados , com múltiplas fraturas ;

- desvio muito grande entre os fragmentos , chegando o osso , em algumas situações , a quase perfurar a pele ;

- desejo do paciente de ficar menos tempo imobilizado , já que após a cirurgia normalmente a imobilização é dispensada .