Fratura da clavícula – tratamento conservador ( sem cirurgia )

Uma fratura com que o ortopedista frequentemente se depara é a fratura da clavícula.  E, dentre as fraturas da clavícula , as mais comuns são as que atingem a sua porção central ou diafisária. Estão relacionadas normalmente a quedas , a traumas esportivos e acidentes de trânsito .

Anatomia da clavícula

Tem uma evolução favorável na maior parte das vezes , exigindo uma imobilização como uma tipóia ou uma órtese em 8 . O tempo de consolidação varia dependendo do traço de fratura , da idade do paciente, podendo variar de poucas semanas até 3 meses .

Imobilização em 8 para fraturas da clavícula

Abaixo mostro as radiografias de uma fratura de um paciente de 15 anos , que fraturou a clavícula jogando bola. Foi tratado com a imobilização acima e depois de 2 meses apresentava sinais de consolidação óssea . É bem frequente o calo ósseo ser visível e o paciente relatar um ” caroço ” .

Raio-x inicial , mostrando pequeno distanciamento ósseo

Raio-x mostrando fratura consolidada , com calo ósseo de qualidade

Aspecto final da fratura , com discreta saliência óssea

Existem alguns casos em que o tratamento cirúrgico pode ser realizado , tais como :

- pacientes politraumatizados , com múltiplas fraturas ;

- desvio muito grande entre os fragmentos , chegando o osso , em algumas situações , a quase perfurar a pele ;

- desejo do paciente de ficar menos tempo imobilizado , já que após a cirurgia normalmente a imobilização é dispensada .