Tenossinovite de Quervain

A tendinite ou tenossinovite de Quervain é uma inflamação dos tendões que mexem o polegar , mais precisamente os tendões dos músculos abdutor longo e extensor curto do polegar . Estes tendões estão ilustrados na figura abaixo :

A causa mais comum de Tenossinovite de Quervain é o uso excessivo do polegar e do punho Às vezes, a doença se desenvolve sem razão conhecida. Atualmente, o uso de aparelhos celulares também tem causado esta doença. É frequente em mães que costumam segurar os filhos para amamentá-los e limpá-los .

O paciente apresenta-se com dor nesta região , com dificuldade para realizar movimentos do polegar . Pode haver um pequeno inchaço no local e algumas vezes também pode-se ter a sensação de crepitação com o movimento .

O diagnóstico é fácil , na maioria das vezes não é necessário nenhum exame complementar .

O tratamento pode envolver diversas abordagens :

– repouso ;

– gelo , fisioterapia ,medicação ;

– uso de órteses ;

– infiltração local com corticóide ;

– cirurgia naqueles casos que não melhoram com os tratamentos acima descritos.

Cabecear uma bola de futebol pode causar lesão cerebral

Fazem estudos para tudo , alguns até curiosos , como este que reproduzo abaixo :

http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,cabecear-uma-bola-de-futebol-pode-causar-lesao-cerebral-diz-estudo,804442,0.htm

Imagine então o que deve ter ocorrido com o zagueiro abaixo :

Osteogênese imperfeita – fratura do fêmur

A osteogênese imperfeita ( O.I.) é uma doença genética que se caracteriza fundamentalmente pela maior fragilidade dos ossos . Existe um defeito na produção do colágeno , proteína essencial na estrutura óssea. Desta forma , com os ossos mais frágeis , as fraturas se tornam mais frequentes.

Existem vários subtipos de O.I. , algumas mais graves , com fraturas múltiplas desde a época de recém nascido e que pode levar ‘a morte precoce , até quadros mais leves em que os pacientes evoluem até a idade adulta , acumulando dezenas ou centenas de fraturas ao longo da vida .A apresentação clínica pode incluir também olhos azulados , alterações da audição , articulações mais elásticas , deformidades dos membros relacionadas ‘as fraturas , baixa estatura , entre outros .

Os tratamentos concentram-se em minimizar as fraturas , maximizar a mobilidade, melhorando a função independente e saúde em geral. Entre as opçoes de tratamentos , temos :

– Fisioterapia e exercícios de segurança, incluindo natação ;

– Gesso, talas ou envoltórios para ossos quebrados;

– Órteses para apoiar as pernas, tornozelos, joelhos e pulsos, conforme necessário;

– Cirurgia ortopédica;

– Ajudas de mobilidade, tais como bengalas, andadores, cadeiras de rodas ou outros equipamentos e ou auxílios para a independência pode ser necessária para compensar a fraqueza ou baixa estatura.

– Medicamentos para fortalecer os ossos , dentre os que têm mostrado melhores resultados estão aqueles da classe dos bifosfonatos , também utilizados para o tratamento da osteoporose . O pamidronato se destaca para este fim .

Recentemente atendi uma paciente com esta patologia que me procurou devido a uma fratura no fêmur. Já tivera fraturas anteriores neste mesmo fêmur e já fora operada por este motivo.  Abaixo mostro a fratura antes e depois da cirurgia que realizei . Tivemos que  retirar a placa anteriormente utilizada , corrigir a fratura e colocar uma placa maior para garantir e estabilidade e propiciar a consolidação óssea.

fratura do fêmur com placa utilizada para fratura pregressa

fratura corrigida , com placa maior

Veja mais informações no link : Associação Brasileira de Osteogenesis Imperfecta (ABOI).

Exercícios para tendinite de Aquiles

O tendâo de Aquiles pode ser acometido por um processo inflamatório e degenerativo, gerando dor e limitacao para diversas atividades como correr ,  andar , praticar uma atividade esportiva.
Existem diversas formas de tratamento para esta patologia , que incluem medicação , fisioterapia , infiltração e até cirurgia.  Uma forma bastante eficaz , com resultados animadores e consistentes , consiste de exercícios excêntricos para esta região . Ela é conhecida como protocolo de Alfredson e o exercício esta mostrado no video abaixo

Estes exercicios devem ser realizados por cerca de 2 a 3 meses e a supervisão inicial de um fisioterapeuta deve ajudar .

Doença de Osgood-Schlatter do joelho

A doença de Osgood-Schlatter é uma apofisite da tuberosidade da tíbia , onde se insere o tendão patelar , conforme mostram as figuras abaixo . Caracteriza-se pela saliência óssea na tíbia e dor . Ocorre principalmente em meninos , na faixa dos 10 aos 15 anos .

Esta lesão está comumente relacionada a atividades físicas praticadas em excesso . É comum em meninos que jogam futebol ou basquete quase todos os dias , várias horas ininterruptas .  O sobrepeso também pode estar presente e aumenta a chance deste tipo de doença .
Decorre de uma força de tração do tendão sobre o osso , que na criança e adolescente é “maleável” , sujeito a deformidades plásticas . Quando esta tração é excessiva  , o osso se deforma e aparece esta protuberância .
O tratamento clínico , com medicamentos , repouso , gelo , orientação sobre um exercício com períodos de descanso , normalmente é o suficiente para a resolução do quadro doloroso. A saliência óssea normalmente persite na vida adulta , mas sem maiores implicações .
São raríssimos os casos em que um procedimento cirúrgico é necessário .

Como usar corretamente uma bengala ?

Você pode usar uma bengala se você tiver um pequeno problema com o equilíbrio ou instabilidade, alguma fraqueza na perna ou no tronco. Poderá também necessitar dela se estiver se recuperando de  uma lesão , de uma cirurgia ou uma fratura. Se você é idoso, uma bengala também poderá lhe ajudar a viver de forma independente.

Posicionamento adequado: o topo da sua bengala deve chegar ao seu punho quando você estiver em pé. Seu cotovelo deve dobrar um pouco quando você segura sua bengala. Segure a bengala na mão oposta ao lado que precisa de apoio.

Caminhada : Coloque a bengala 10 cm ao lado da sua perna mais forte. Transfira o peso para o seu lado mais forte. Desloque a bengala cerca de 10 cm para a frente da sua perna mais forte dando, simultaneamente, um passo em frente com a perna mais fraca.
Usando a bengala para ajudar a retirar o peso da perna mais fraca, dê um passo em frente com a sua perna mais forte .O calcanhar ficará ligeiramente à frente da extremidade da bengala.Repita estes passos e tente caminhar direito.

Sugestões para usar a bengala de forma segura:Use sapatos com sola de borracha como, por exemplo, sapatilhas. Não use chinelos, pois podem sair-lhe dos pés facilmente e fazer com que caia. Não use sapatos com tacões de couro ou solas que o possam fazer escorregar e cair.

Examine o chão e certifique-se de que é seguro para a utilização da bengala. O chão deverá estar limpo, seco e devidamente iluminado. Retire os tapetes para evitar eventuais quedas. Fixe, com fita adesiva ou pregos, as extremidades soltas da alcatifa. Mantenha as zonas de passagem e o chão devidamente arrumados.
Deixe-se estar de pé durante alguns segundos antes de começar a caminhar com a bengala. Tal ajudá-lo-á a habituar-se a estar de pé. Não comece a caminhar se estiver tonto.Olhe para a frente ao caminhar. Poderá ir contra ou tropeçar em qualquer coisa se estiver a olhar para os pés.

.