Tendinites do cotovelo

A tendinite no cotovelo pode acometer diversos grupos musculares , recebendo diferentes nomes dependendo da localização anatômica e músculos envolvidos . Assim , podemos ter a  epicondilite lateral ( a mais comum , envolvendo a musculatura extensora ) , a epicondilite medial ( musculatura flexora ) e a tendinite do tríceps ( região posterior ) .

A origem deste problema normalmente está relacionada a alguma sobrecarga de movimento , seja ela relacionado ao esporte (tênis ,por exemplo) , ao trabalho ( digitação excessiva , serviços domésticos,trabalhos manuais ) ou algum hobby ( videogame , marcenaria , etc) . A epicondilite lateral também é conhecida por cotovelo do tenista ( “tennis elbow” ) , mas apenas uma pequena parte dos paciente com esta patologia joga tênis. Já a epicondilite medial é conhecida por cotovelo do golfista ( ” golfer’s elbow ” ) .

Caracteriza-se por um quadro doloroso , inicialmente leve mas que pode progredir para uma dor de grande intensidade e  persistente , levando a uma dificuldade para executar movimentos simples como carregar uma pequena bolsa ou apertar a mão de um colega .

O diagnóstico é fácil , através da história e do exame físico . Exames como raio-x e ultrassom podem ser pedidos em alguns casos , para afastar outras possibilidades diagnósticas . Raramente a ressonância magnética é pedida.

O tratamento envolve muitos aspectos, que podem incluir medicamentos anti-inflamatórios , gelo local , repouso , correção de gestos esportivos  , mudança de postura no trabalho , exercícios de fortalecimento , infiltrações , fisioterapia e até cirurgia (raramente necessária )  . O tratamento deve ser personalizado e o tratamento precoce é fundamental para uma recuperação mais rápida e fácil  .

 

Infiltração e tendinite

A infiltração é um procedimento em que o médico injeta algum medicamento em determinada região do corpo ; portanto , trata-se de uma injeção . É muito utilizada na ortopedia , principalmente quando tratamos de problemas em tendões . A mais comum é com corticóide e anestésico. Nos últimos anos , um novo tipo de infiltração,  com PRP ( plasma rico em plaqueta ) , tem sido utilizado para estimular a cicatrização de tendões degenerados e inflamados.

Existem defensores e críticos desta prática e muitos estudos se propuseram a elucidar os efeitos benéficos e maléficos desta prática . Recentemente , um artigo publicado no The Lancet , renomado periódico médico , realizou uma revisão em vários estudos acerca deste assunto (meta-análise) e chegou a algumas considerações abaixo descritas :

– em epicondilites ( tendinite do cotovelo ) a infiltração com corticóide ajudou na fase aguda , mas no longo prazo não se mostrou superior a outros tratamentos ;

– a infiltração de PRP na tendinite de Aquiles não se provou efetiva ;

– a infiltração de corticóide nas tendinite do ombro não é maléfica , embora seu efeito ainda não esteja claro .

Eu tenho uma opinião bastante firme em relação a infiltração com corticóide . Acredito que é uma arma bastante interessante na melhora da dor , principamente na fase aguda da tendinite . Ajuda a diminuir a dor , melhora a movimentação e permite inclusive um tratamento fisioterápico complementar , que pode tratar as causas básicas do problema. Tenho bastante experiência em infiltrações no ombro para tendinite , bursite e  capsulite , com resultados animadores.  Acredito que deve ser usada com critérios e moderação , após um diagnóstico detalhado e após discussão com o paciente.

Em relação ao uso do PRP , ainda preciso aguardar mais dados  para emitir uma opinião consistente , até porque se trata de um tratamento bastante caro para nós .

Neste link coloco mais algumas ponderações a respeito do assunto .

Aqui você pode ler um artigo publicado na Revista Brasileira de Ortopedia

Exercícios para futebol – dicas da FIFA

A Fifa tem um grupo de médicos que estuda as lesões no futebol , identificando os tipos e características das lesões dos futebolistas . Com base nestes dados tenta implementar algumas atividades para diminuir estas lesões . Desta forma,  ela lançou o “Os 11 +”.

“Os 11 +” é um completo pacote de exercícios de aquecimento para os jogadores de futebol. O programa foi desenvolvido por um grupo internacional de especialistas e um estudo científico mostrou que as equipes de futebol feminino que realizaram  “Os 11 +” como um padrão de aquecimento apresentaram menor risco  para as lesões do que as equipes que se aqueceram sem uma padrão específico.

Segue a página da Fifa para maiores detalhes . Faça o download dos exercícios em português aqui.

Artroscopia do ombro

Assim como a artroscopia do joelho, a  artroscopia do ombro  é uma das cirurgias mais comumente realizadas na área da Ortopedia . Do latim , artroscopia significa “olhar a articulação ” . Com a utilização de aparelhos chamados artroscópios , que são microcâmeras acopladas a um monitor , conseguimos visualizar o interior do ombro . Desta forma, podemos diagnosticar patologias diversas como lesões dos tendões, da cartilagem e dos ligamentos ( luxação recidivante ) .Também podemos tratar estas lesões pela artroscopia . Normalmente permite uma recuperação mais rápida do que a cirurgia aberta , exige a anestesia geral e o paciente pode ter alta do hospital no dia seguinte da operação. Nos próximos artigos mostrarei alguns tratamentos realizados através desta técnica . Abaixo mostramos algumas imagens que ilustram como é realizada uma artroscopia do ombro .

Teste para a saúde cardíaca !

Surfando pela internet , achei uma página interessante , que pode nos ajudar a calcular o risco de um problema coronariano . Segue  o link para você estimar a chance de um evento bastante indesejável .  Um amigo meu costuma dizer : “A vida é muito frágil” . Eu complemento: “Ainda bem que existem meios que nos permitem deixá-la um pouco mais sólida : faça exercícios regularmente , visite seu cardiologista com frequência , faça uma dieta equilibrada , não fume ,  aproveite o final de semana com sua família .”

Artroscopia do joelho

A artroscopia do joelho é uma das cirurgias mais comumente realizadas na área da Ortopedia . Do latim , artroscopia significa “olhar a articulação ” . Com a utilização de aparelhos chamados  artroscópios , que são microcâmeras acopladas a um monitor , conseguimos visualizar o interior do joelho .  Desta forma, podemos diagnosticar patologias diversas como lesões dos meniscos, da cartilagem e dos ligamentos .Também podemos tratar estas lesões pela artroscopia . Normalmente permite uma recuperação mais rápida do que a cirurgia aberta  e muitas vezes o paciente pode ter alta do hospital no mesmo dia da operação. Nos próximos artigos mostrarei alguns  tratamentos realizados através desta técnica . Abaixo mostramos algumas imagens que ilustram como é realizada uma artroscopia do joelho .

Visão frontal da artroscopia

Câmera do lado direito e "shaver" do esquerdoVisão frontal da artroscopia

Pseudoartrose da diáfise do úmero

Relato hoje um dos casos mais difíceis e desfiadores que já operei. Uma senhora de 49 anos me procurou no pronto-socorro com dor no braço esquerdo. Sua história era ter sofrido um acidente de carro há mais de 20 anos , com várias fraturas , incluindo o úmero esquerdo . Fora submetida a mais de 5 operações neste braço ,sem sucesso. Usava um aparelho para manter o braço parcialmente imobilizado – uma órtese de Sarmiento.

As radiografias iniciais do braço estão mostradas abaixo :

Órtese de Sarmiento
Pseudoartrose do úmero
 fratura da placa e desvio

A paciente tinha a sensação que a placa e a haste se tocavam , o que causava um intenso desconforto . Além disso , tinha limitação para usar este membro , dificuldade para utilizar sua mão esquerda .Conversamos a respeito das possibilidades de operá-la mais uma vez , explicando que atualmente temos algumas opções de placas mais apropriadas ,mais estáveis .A cirurgia consistiu na retirada do material anterior(parafusos , placa e haste ) , da retirada da fibrose e do tecido desvitalizado , da colocação de uma placa adequada e colocação de enxerto ósseo. Após 2 meses de cirurgia a paciente relata estar bastante satisfeita , sem dor , sem déficits neurológicos , com boa mobilidade neste membro . Abaixo mostro uma radiografia do pós-operatório.Coloco também um vídeo do resultado : http://www.youtube.com/watch?v=-TAodkaujUI

"Mega-placa" do ombro ao cotovelo