Início » Fraturas » Ainda usamos gesso na ortopedia ?

Ainda usamos gesso na ortopedia ?

Em relação a meu último artigo , em que mostro inúmeros dispositivos utilizados na ortopedia moderna , acho pertinente uma discussão sobre o uso do gesso para o tratamento de patologias ortopédicas e traumatológicas . Pode até parecer que o gesso é algo do passado , ultrapassado . Mas posso afirmar , com absoluta certeza , que seu espaço ainda está reservado para inúmeras situações .

Em relação a fraturas , não há  dúvidas que a evolução das técnicas cirúrgicas e de fixação fizeram  o gesso perder espaço . Fraturas da perna com desvio  ( tíbia e fíbula ) que antes eram tratadas com manipulação e com gesso por longos períodos , normalmente tem uma melhor e mais rápida evolução se bem reduzidas cirurgicamente e estabilizadas internamente ( com uma haste intramedular , como visto abaixo ).

Fraturas com pequeno ou sem desvio , no entanto , normalmente podem ser tratadas com gesso e evoluem bem , constituindo uma forma segura e barata de tratamento . Podemos lembrar até a existência do gesso sintético , mais resistente e leve que o tradicional  , que pode ser uma alternativa em alguns casos.

O gesso também sofre a concorrência de modernas órteses , mais leves , mais higiênicas e que permitem a mobilização articular mais precoce em determinados casos . Entorses de tornozelo ou fraturas de pé sem desvio , por exemplo , que antes eram tratados inicialmente com gesso , hoje podem ser tratadas com modernas botas , conhecidas por robofoot .

Um caso bastante interessante que diz respeito ao uso do gesso é o tratamento do pé torto congênito .  Ainda durante a  minha residência médica (fim da década de 90)  , acompanhávamos muitos casos deste problema sendo submetidos a cirurgias delicadas , com resultados nem sempre satisfatórios . Alguns anos depois , uma técnica chamada de Ponsetti , mostrava ótimos resultados para as crianças com pés tortos e ela é baseada totamente na utilização de gessos .

Na verdade , acho que o ortopedista deve avaliar bem cada paciente , saber as armas que estão disponíveis para solucionar aquele caso específico e discutir as opções de tratamento juntamente com seu cliente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s