Anatomia e basquete

Gosta de basquete? Gosta de medicina ? Gosta de esporte? Gosta de ortopedia ? Este livro é maravilhoso , cheio de ilustrações que mostram exercícios físicos para melhorar seu desempenho na quadra, evitar lesões ou lhe ajudar numa reabilitação. Serve também apenas para contemplar a fantástica máquina humana!
Dentro deste contexto, acabei de assistir ao documentário Arremesso Final ( The Last Dance) na Netflix, que mostra a trajetória de Michael Jordan e do hexacampeonato do Chicago Bulls. No início da carreira, Michael já era habilidade pura. Mas ainda era um pouco franzino. Para conquistar tudo o que conquistou, logo percebeu que era necessário muito músculo e caprichou na malhação! Um dos autores deste livro é o médico do time do Chicago Bulls.
Abaixo algumas imagens do livro , com o grupo muscular que é trabalhado em determinado exercício e com o gesto esportivo correspondente .

Retorno ao futebol após a pandemia

Após uma longa espera , as atividades físicas devem ser retomadas nas próximas semanas , de acordo com as autoridades de saúde .

Pensando em voltar a jogar o seu futebolzinho depois de meses parado? Vá com calma!

Muita gente perdeu massa muscular , outros engordaram um pouquinho , a capacidade cardiovascular deve estar alterada , bem como os reflexos e a flexibilidade articular . Assim , volte devagar para diminuir a chance de lesões musculares e articulares . Além disso , veja que a Fifa tem um programa de exercícios, chamado Fifa 11 + , que reduz em mais de 30% a chance de lesões no futebol .
A melhor forma de tratar é atráves da prevenção !!!
O poster abaixo mostra resumidamente os exercícios indicados neste programa e logo depois deixei um vídeo bem feito para te guiar .

Uma boa academia ou pilates podem ser alternativas interessantes também .
Se você já tiver algum histórico ortopédico , redobre os cuidados e boa sorte .

Nice de novo , de novo legal ( nice again ) !

No começo do mês voltei à encantadora cidade de Nice , na maravilhosa região sul da França , para participar do congresso Nice Shoulder Course , do professor Pascal Boileau.

Estive lá dois anos atrás e novamente este ano tive a oportunidade de atualizar os conhecimentos na área de cirurgia do ombro . Com a participação de mais de 900 congressistas de 61 países  , o congresso reuniu os grandes nomes desta área da Ortopedia . Assuntos comuns do dia-a-dia e também casos mais raros foram colocados em discussão , aumentando assim nosso horizonte e permitindo uma abordagem mais racional para nossos pacientes .

A cirurgia de ombro da França tem uma tradição e vanguarda no cenário mundial e , com a simpatia , dedicação e trabalho árduo da equipe do Dr. Pascal , tem me ajudado a entender  e tratar melhor as patologias do ombro .

Jpeg

 

nice certificado

Subir escadas é um bom exercício para os joelhos e para o corpo ?

Recentemente , meu irmão , que mora no décimo-sexto andar de um prédio ,  relatou-me  que começou a subir pelas escadas até o seu apartamento  , complementando seu treinamento físico . Ele tem 43 anos, pratica corrida ,  natação , musculação , tem a supervisão de um treinador pessoal ( personal ) e está com o peso ideal . Enfim , é  um adulto saudável e nunca teve nenhuma queixa ortopédica , nenhuma dor ou lesão nos joelhos . Imediatamente comentei que , como ortopedista , não recomendava que continuasse a tal prática , porque poderia prejudicar futuramente seus joelhos. Ele aceitou  esta dica  .

Assim como ele , também recebo pacientes que dizem fazer esta atividade com frequência. Muitos deles são sedentários , estão acima do peso e “aproveitam” esta necessidade de subir as escadas para fazer pelo menos um exercício no dia . Calculam que estarão queimando algumas calorias e fortalecendo seus músculos .

Certamente que o  subir escadas ajuda a gastar calorias , como qualquer outra atividade que move o nosso corpo . Certamente que também solicita a musculatura das panturrilhas , das coxas , dos glúteos  , do coração . Existem máquinas modernas que simulam este movimento . O exercício de step das academias , com aulas movimentadas e músicas , também se assemelha a esta atividade. Professores de educação física destacam algumas vantagens para o condicionamento muscular e cardiovascular para esta atividade .

Mas ocorre que  a pressão exercida na articulação do joelho , mais precisamente na cartilagem da patela e do fêmur ( região patelo-femoral , região anterior do joelho  ) é muito grande quando executamos o subir  e descer escadas , assim como quando agachamos por longos períodos. Se a musculatura dos membros inferiores for forte e a pessoa estiver habituada a fazer exercícios , a sobrecarga deverá ser menor e um possível  dano a cartilagem  idem . Agora , pessoas não acostumadas a fazer exercícios com regularidade ( e músculos mais fracos ) , pessoas com sobrepeso , pessoas com histórico de dor no joelho , pessoas com diagnósticos de lesão da cartilagem ( lesão condral , condropatia ou condromalacea são sinônimos ) , devem evitar esta atividade , caso contrário podem  desenvolver ou piorar problemas nos joelhos .

Além disso , muitas vezes a pessoa está carregando uma mala ou mochila , usando um calçado inadequado , o que pode sobrecarregar a coluna ou os pés . Assim , de uma forma geral , eu desaconselho meus pacientes a realizar esta atividade com frequência . É lógico , para subir um ou dois andares , para poucos degraus , não vejo problema nenhum e até incentivo a movimentação  ativa . Mas atividades como aquela corrida de escadas que existe em Nova Iorque , subindo o Empire State Building , isto é uma fanfarronice ou caso primeiro para psiquiatria ! E depois , para Ortopedia !

Pernas biônicas que permitem até sonhar !

O site TED é um local onde podemos assistir a  palestras da mais alta qualidade em diversas áreas, desde economia até literatura. Recomendo a todos que dêem uma espiada e “percam” um pouco de seu tempo neste lugar, que tem aplicativos para android e também ios. Muitas palestras têm tradução em português .
Hoje, se tiverem uns minutinhos, deixo um link para verem um vídeo muito bonito ( clique na figura abaixo para assisti-lo ) , surpreendente e emocionante que mostra próteses biônicas que permitem pacientes amputados andarem quase normalmente ou realizarem atividades mais complexas como dançar.

                                                         

Esse trabalho desenvolvido por pessoas muito capacitadas do MIT  abre um leque enorme de possibilidades de atuação na ortopedia, não somente para pacientes com perda de uma parte do membro, mas para pacientes com outras seqüelas e dificuldades. Imagino pacientes num futuro que , ao invés de colocarem uma prótese de joelho ( por qualquer impossibilidade ) , possam ” vestir ” um equipamento que os ajude no caminhar .

Num momento em que as más notícias estão nas manchetes de todos os veículos de comunicação, em que o futuro parece um tanto quanto sombrio, confesso que esta notícia me animou muito ,  fazendo-me acreditar num mundo melhor. Pode até ser que seja um mundo mais robótico , mas com um belo toque humano de amor !