Nice de novo , de novo legal ( nice again ) !

No começo do mês voltei à encantadora cidade de Nice , na maravilhosa região sul da França , para participar do congresso Nice Shoulder Course , do professor Pascal Boileau.

Estive lá dois anos atrás e novamente este ano tive a oportunidade de atualizar os conhecimentos na área de cirurgia do ombro . Com a participação de mais de 900 congressistas de 61 países  , o congresso reuniu os grandes nomes desta área da Ortopedia . Assuntos comuns do dia-a-dia e também casos mais raros foram colocados em discussão , aumentando assim nosso horizonte e permitindo uma abordagem mais racional para nossos pacientes .

A cirurgia de ombro da França tem uma tradição e vanguarda no cenário mundial e , com a simpatia , dedicação e trabalho árduo da equipe do Dr. Pascal , tem me ajudado a entender  e tratar melhor as patologias do ombro .

Jpeg

 

nice certificado

Subir escadas é um bom exercício para os joelhos e para o corpo ?

Recentemente , meu irmão , que mora no décimo-sexto andar de um prédio ,  relatou-me  que começou a subir pelas escadas até o seu apartamento  , complementando seu treinamento físico . Ele tem 43 anos, pratica corrida ,  natação , musculação , tem a supervisão de um treinador pessoal ( personal ) e está com o peso ideal . Enfim , é  um adulto saudável e nunca teve nenhuma queixa ortopédica , nenhuma dor ou lesão nos joelhos . Imediatamente comentei que , como ortopedista , não recomendava que continuasse a tal prática , porque poderia prejudicar futuramente seus joelhos. Ele aceitou  esta dica  .

Assim como ele , também recebo pacientes que dizem fazer esta atividade com frequência. Muitos deles são sedentários , estão acima do peso e “aproveitam” esta necessidade de subir as escadas para fazer pelo menos um exercício no dia . Calculam que estarão queimando algumas calorias e fortalecendo seus músculos .

Certamente que o  subir escadas ajuda a gastar calorias , como qualquer outra atividade que move o nosso corpo . Certamente que também solicita a musculatura das panturrilhas , das coxas , dos glúteos  , do coração . Existem máquinas modernas que simulam este movimento . O exercício de step das academias , com aulas movimentadas e músicas , também se assemelha a esta atividade. Professores de educação física destacam algumas vantagens para o condicionamento muscular e cardiovascular para esta atividade .

Mas ocorre que  a pressão exercida na articulação do joelho , mais precisamente na cartilagem da patela e do fêmur ( região patelo-femoral , região anterior do joelho  ) é muito grande quando executamos o subir  e descer escadas , assim como quando agachamos por longos períodos. Se a musculatura dos membros inferiores for forte e a pessoa estiver habituada a fazer exercícios , a sobrecarga deverá ser menor e um possível  dano a cartilagem  idem . Agora , pessoas não acostumadas a fazer exercícios com regularidade ( e músculos mais fracos ) , pessoas com sobrepeso , pessoas com histórico de dor no joelho , pessoas com diagnósticos de lesão da cartilagem ( lesão condral , condropatia ou condromalacea são sinônimos ) , devem evitar esta atividade , caso contrário podem  desenvolver ou piorar problemas nos joelhos .

Além disso , muitas vezes a pessoa está carregando uma mala ou mochila , usando um calçado inadequado , o que pode sobrecarregar a coluna ou os pés . Assim , de uma forma geral , eu desaconselho meus pacientes a realizar esta atividade com frequência . É lógico , para subir um ou dois andares , para poucos degraus , não vejo problema nenhum e até incentivo a movimentação  ativa . Mas atividades como aquela corrida de escadas que existe em Nova Iorque , subindo o Empire State Building , isto é uma fanfarronice ou caso primeiro para psiquiatria ! E depois , para Ortopedia !

Pernas biônicas que permitem até sonhar !

O site TED é um local onde podemos assistir a  palestras da mais alta qualidade em diversas áreas, desde economia até literatura. Recomendo a todos que dêem uma espiada e “percam” um pouco de seu tempo neste lugar, que tem aplicativos para android e também ios. Muitas palestras têm tradução em português .
Hoje, se tiverem uns minutinhos, deixo um link para verem um vídeo muito bonito ( clique na figura abaixo para assisti-lo ) , surpreendente e emocionante que mostra próteses biônicas que permitem pacientes amputados andarem quase normalmente ou realizarem atividades mais complexas como dançar.

                                                         

Esse trabalho desenvolvido por pessoas muito capacitadas do MIT  abre um leque enorme de possibilidades de atuação na ortopedia, não somente para pacientes com perda de uma parte do membro, mas para pacientes com outras seqüelas e dificuldades. Imagino pacientes num futuro que , ao invés de colocarem uma prótese de joelho ( por qualquer impossibilidade ) , possam ” vestir ” um equipamento que os ajude no caminhar .

Num momento em que as más notícias estão nas manchetes de todos os veículos de comunicação, em que o futuro parece um tanto quanto sombrio, confesso que esta notícia me animou muito ,  fazendo-me acreditar num mundo melhor. Pode até ser que seja um mundo mais robótico , mas com um belo toque humano de amor !

Livro sobre artroplastia total do joelho

Image

Acabei de ler um interessante livro sobre o balanço ligamentar na artroplastia total do joelho ( prótese de joelho )  .

Acrescentou-me alguns conceitos interessantes numa das cirurgias mais realizadas na ortopedia .

Através destes conceitos, o sucesso da cirurgia fica mais fácil de ser atingido . Vale a pena conferir ,  para aqueles que tem na sua rotina a realização deste procedimento . Apresenta uma visão francesa , bastante respeitada no mundo.

Seguem no link maiores detalhes do livro .

O nervo ciático : alguns conceitos sobre a dor ciática e seu tratamento

O nervo ciático é o nervo mais famoso da Ortopedia , talvez o nervo mais citado na Medicina.  É o  maior nervo do corpo , tem sua origem  na região lombar e  se prolonga até os pés . Também chamado de nervo isquiático , sua fama deve-se aos processos inflamatórios e compressivos que o atingem , causando uma dor bastante desconfortável , conhecida por dor ciática .

 ciatico

O nervo ciático é um nervo misto , com um componente motor ( inerva músculos dos membros inferiores que mexem as pernas e pés ) e outro componente sensitivo ( responsável pela sensibilidade da pele ) . Assim , quando ele é acometido por um processo inflamatório , pode gerar dor , formigamento ( parestesia , para nós médicos ortopedistas ) ou alteração  na força motora ( dificuldade para fazer um movimento ) .

O nervo pode ser comprimido em vários níveis, desde o canal vertebral , na região do forame intervertebral ( espaço entre as vértebras por onde saem as raízes nervosas da medula ) ou em qualquer nível do seu trajeto ( ele passa entre músculos e fáscias  ) . Os dois sexos são acometidos numa frequência parecida . Com o avançar da idade , mais frequentemente o nervo ciático é irritado , por conta dos desgastes  entre as vértebras , pela menor elasticidade muscular , pelas deformidades que vão atingindo a coluna vertebral e outras articulações . A pessoa com peso acima do ideal também tem muito maior probabilidade de ser acometida por uma dor ciática.

As principais causas de irritação do nervo ciático são :

-problemas nos discos intervertebrais , desde protusões até hernias de disco ;

-traumas que atingem a região lombar , incluindo fraturas da coluna ;

-estenose do canal vertebral : estreitamento do túnel por onde passa a medula – normalmente ocorre em pessoas de mais idade ;

-espondilolistese : escorregamento entre vértebras vizinhas ;

-tumores ;

-síndrome do piriforme : contratura de músculo na região posterior do quadril , o nervo ciático pode ser comprimido quando este músculo fica irritado ;

-esforços físicos intensos , como carregar pesos exagerados , com exagerar em atividades como corrida ;

-sobrepeso .

O diagnóstico é feito pelo ortopedista através da história , do exame físico e através de exames complementares  como radiografia , tomografia e ressonância magnética. A dor , que se inicia na região lombar , irradia para a parte posterior da coxa e da perna, podendo atingir o pé , é o ponto central do diagnóstico.

O tratamento deve ser dirigido para a causa da irritação . O tratamento pode envolver : repouso , analgésicos , anti-inflamatórios , corticóides , fisioterapia , acupuntura, rpg , perda de peso e até cirurgia em casos selecionados.

O futuro do gesso ou o gesso do futuro

Há pouco mais de 2 anos escrevi um artigo  no qual opinava sobre o uso do gesso na Ortopedia atual . O link deste artigo está aqui .

 Ontem , surfando na internet , vi um artigo que discutia como pode ser o gesso do futuro . O link deste artigo está aqui .

Para quem quer um resumo , explico o que ele diz : o gesso do futuro poderá ser feito por uma impressora 3D , com materiais mais leves e que permitam maior liberdade e conforto  para os pacientes . O banho , por exemplo, ficaria bem mais fácil .  Após o diagnóstico da fratura com o velho mas eficaz raio-x , o membro seria escaneado em 3D e uma impressora também 3D confeccionaria uma “armação” aberta , com poros , mas extremamente resistente , que faria a função do gesso , mas de uma forma mais confortável .

A imagem abaixo resume as etapas descritas :

A imagem a seguir mostra o gesso pronto e aplicado no membro .

Este tipo de gesso ainda não está disponível no mercado , está em fase de estudos e acho que vai demorar uns bons anos para chegar até os nossos hospitais, mas tenho certeza que será um realidade bem interessante para os ortopedistas e seus pacientes .