Dor no joelho na mulher

A dor no joelho tem diversas causas . Podem ser relacionadas a contusões , entorses , desgastes , malformações , tumores , sobrecarga de exercícios ou sobrepeso  e podem afetar a cartilagem , o osso , os tendões , os músculos , os ligamentos , os meniscos . O médico  , quando atende um paciente , no seu processo de diagnóstico , certamente pensa nestes dois pontos : o que gera a dor e onde ela está localizada . Feito isto , proporá o tratamento adequado .

Um fator que eu destaco como importante em relação a dor no joelho  é o sexo do paciente  . As dores no joelho no homem e na mulher tem em geral um comportamento diferente , que certamente estão ligados aos aspectos anatômico , hormonal e comportamental , notadamente distintos no sexo masculino e feminino .

Assim , do ponto de vista comportamental , as lesões decorrentes de traumas torcionais desportivos são menos frequentes em número absoluto nas mulheres porque elas praticam menos atividades físicas do que os homens , principalmente o futebol .  Neste esporte , são comuns as lesões de ligamentos e meniscos . Alguns  estudos sugerem que as mulheres futebolistas têm até maior chance de machucar os seus ligamentos , mas como em número absoluto aqui no Brasil ainda são poucas as praticantes,  o número de lesões é infinitamente menor que o dos homes. Em relação à corrida de rua , esporte que teve um grande aumento de popularidade nos últimos anos , não consigo perceber muita diferença entre as queixas de homens e mulheres . Normalmente observamos casos de tendinites , fraturas de stress , edemas ósseos e sobrecarga na cartilagem , sobretudo naqueles pacientes que se empolgam demais na corrida e exageram na dose  .

Em relação ao aspecto anatômico , as mulheres têm um quadril mais largo , o que influencia o formato do joelho , tornado-o um pouco mais em X , o que chamamos de geno valgo .  A musculatura da mulher pode ser um pouco mais fraca , podendo gerar desequilíbrios que afetam a região da patela . Aliás , a articulação fêmoro-patelar ( dor anterior do joelho ) , é muito acometida nas mulheres, sendo frequente a queixa de dor ao subir ou descer escadas , agachar , dor ao se levantar da cadeira . A crepitação ou barulho do joelho pode estar presente .

Finalizando , quando um paciente entre no consultório do ortopedista, com queixa de dor no joelho , certamente que o sexo já é um indicador de um tipo de problema . Obviamente cada caso tem suas particularidades , que serão exploradas pela história , exame físico e exames complementares. Não tenho dados estatísticos , mas as mulheres jovens e adultas tem muito menos chances de serem submetidas a tratamento cirúrgico do que os homens . Numa idade avançada , quando a osteoartrose atinge números parecidos entre os sexos,  esta correlação cirúrgica não vale , sendo que o número de artroplastias ( próteses ) se aproxima para os dois lados.

Anúncios

Trombose venosa profunda ( TVP ) e Ortopedia

Um dos termos mais temidos pelos pacientes é o termo trombose . Quando nós ortopedistas suspeitamos deste problema e falamos dessa situação para o paciente , percebemos de imediato um semblante  de medo e preocupação .  Na maior parte das vezes , verifico que o receio ( equivocado )  é de uma possível perda da perna ou pé . Para um melhor esclarecimento do termo , para explicar suas causas e consequências , suas formas de prevenção e tratamento , resolvi dedicar alguns minutos discorrendo sobre este tema.

A trombose caracteriza-se pela formação de coágulos ( trombos ) no interior das veias . Os locais mais acometidos são as panturrilhas ( batata da perna)  e as coxas .   Raramente ocorrem  nos membros superiores.  O grande temor é que um destes trombos se solte , se desloque até o pulmão e obstrua uma artéria pulmonar , causando uma embolia pulmonar , com consequências até fatais .

A principal causa da TVP é a imobilidade prolongada , como quando ficamos muito tempo sentados ( viagens longas de avião e ônibus ) ou quando ficamos muito tempo acamados por doenças ou após cirurgias . Alguns fatores podem aumentar a chance de trombose , tais como : obesidade , uso de anticoncepcionais , obesidade , tabagismo , gravidez .

Muitas pessoas podem desenvolver a trombose e não perceber nada . Outras sentem um inchaço no pé ou na perna , uma queimação na perna , uma vermelhidão local e um endurecimento na panturrilha . O médico que suspeita de TVP  , através da história e do exame físico , normalmente pede um exame como o ultrassom doppler que confirmará ou não o diagnóstico .

Uma vez identificada a trombose , o tratamento deve ser prontamente instituído , através de medicamentos anticoagulantes . Normalmente , inicia-se o tratamento com internação e medicamentos endovenosos ou subcutâneos e depois ele é continuado com medicação domiciliar e oral .

A prevenção tem papel importante e em algumas cirurgias de grande porte na ortopedia , como as próteses de quadril e de joelho , é rotineiro o uso de anticoagulantes no pós-operatório . O uso de meias elásticas , a elevação dos membros inferiores na cama , o sair da cama e caminhar precoces ( se permitidos ) também ajudam  a diminuir a chance de ocorrência deste problema .

Dicas para uso de gelo na Ortopedia

O uso do gelo na Ortopedia é muito frequente . Pode ser utilizado em diversas situações , como :

– em processos traumáticos agudos  ( contusões , entorse , luxações e fraturas ) ;

– processos crônicos , como tendinites , bursites , sinovites , artrite ou artrose ;

– pós-operatórios .

O ortopedista pode dar algumas dicas para que o gelo seja usado de forma mais eficaz e segura :

1) em traumas , deve ser iniciado o mais brevemente possível , antes que o inchaço se estabeleça . Nestas situações , seu uso após as 48 horas passa a ser menos importante ;

2) pode ser feita uma massagem suave , alterando-se a posição do gelo enquanto aplicado ;

3) principalmente nos membros inferiores , deve-se também deixar o local em posição mais elevada em relação ao coração , o que também favorece a diminuir o inchaço ;

4) deve-se tomar cuidado com o tempo de aplicação do gelo . Em linhas gerais , quanto menor a área , menos tempo de aplicação , devendo-se evitar períodos maiores do que 15 a 20 minutos . Depois que  a região resfriada tenha se aquecido novamente , o que se dá em média após 45 minutos , nova rodada de gelo poderá ser realizada . Pode-se repetir este processo várias vezes , dependendo da disponibilidade e paciência do paciente.

5) existem alguns dispositivos especiais para este fim ,como bolsas de borracha , bolsas de gel , joelheiras ou ombreiras . Na falta destes , um saco plástico com gelo picado é uma boa alternativa . É importante colocar uma fina toalha ou tecido com o intuito de prevenir queimaduras térmicas na pele .

    

Lipomas e ortopedia

Os lipomas são tumores benignos formados por tecido gorduroso .  Não são muito frequentes , mas também não são de ocorrência tão rara . Muitas vezes os pacientes procuram um ortopedista relatando o aparecimento de uma caroço , normalmente indolor , outras vezes procuram um dermatologista , um cirurgião geral ou cirurgião plástico . Podem ocorrem em diversas partes do corpo , sendo a região do dorso ( costas ) e dos ombros os  locais mais acometidos .

O diagnóstico é simples , pelas características de palpação , de caráter indolor ; logo suspeitamos pelo exame físico desta patologia . A ultrassonografia ou a ressonância magnética podem complementar o diagnóstico .

O tratamento mais utilizado inicialmente é a orientação e simples observação : como é um tumor benigno e quase sempre indolor , normalmente a cirurgia não é necessária . Deixamos esta opção para aqueles casos em que há uma desconforto local (dor) ou quando há um crescimento acelerado do tamanho do lipoma . A questão estética também pode ser uma indicação  para a cirurgia .

A cirurgia remove o tumor e também confirma sua natureza , se realmente é um tumor benigno , através da análise anatomo-patológica .

File:Lipoma 06.jpg

Lipoma volumoso de 8 cm de diâmetro , observe a consistência gordurosa predominante

Dor nas costas : fácil solução , difícil resolução . A vida caótica das grandes cidades e a medicina …

Hoje atendi uma senhorita de 30 anos com uma história bastante comum presente no consultório dos ortopedistas . Ela se queixava de dores nas costas , desde a região dorsal ( meio das costas ) , passando pela lombar e com irradiação para a coxa direita . A dor já vinha lhe incomodando há mais de 1 ano mas tinha piorado no último mês . Também se queixava de desconforto no joelho .

Com este quadro , de imediato já pensamos num problema mecânico na coluna , com irritação do nervo ciático ( irradiação para as pernas ) . Pergunto sobre a sua rotina diária : mora no ABC paulista , acorda às 6h , pega o transporte para o centro de São Paulo e chega ao serviço às 8h . Durante seu expediente , fica sentada na frente do computador na maior parte do tempo. Trabalha até as 17, 18h e depois retorna para a sua casa , chegando por volta das 20h , quando trânsito ajuda ! Tem um tempinho para as crianças , para o marido talvez , e o outro dia já está começando . Final de semana reserva para as coisas de casa e um pouquinho para os pequenos . São histórias parecidas como esta que ouvimos muitas e muitas vezes dos nossos pacientes . A vida moderna não está nada fácil nos grandes centros . Estamos escravos do trabalho e parece que vivemos para trabalhar e não que trabalhamos para viver .

Faço o exame físico , percebo que a paciente está gordinha ( pesa 78 kg , há um ano pesava 71 , o que dá um ganho de 10% ) . As dores na musculatura paravertebral ( ao lado da coluna , que ajuda a sustentá-la ) estão presentes , mas sem nenhuma gravidade maior . A falta de flexibilidade também me chama a atenção . O joelho apresenta uma crepitação , faz um crec-crec , parecendo faltar lubrificação .

Complemento com exames de raio-x simples . Eles me mostram uma pequena escoliose ,que a paciente já dissera possuir desde os 15 anos . Nada significativo , nada grave .
Caso solucionado : lombalgia mecânica , com irritação do nervo ciático , condropatia ( inflamação da cartilagem ) do joelho .

Se o diagnóstico foi fácil , a resolução do problema parece mais difícil . Prescrevi inicialmente uma medicação anti-inflamatória e algumas sessões de fisioterapia . A tomada do remédio e o alívio imediato da dor são a parte mais simples do tratamento . A realização da fisioterapia é factível , é um pouco chata de realizar , mas também pode ser cumprida pela maioria dos pacientes . Mas o resto do tratamento , que considero mais importante , é difícil de ser realizado , exigindo paciência ,  dedicação , perseverança e ….TEMPO .

Para resolvermos o problema da coluna , teremos que trabalhar alguns conceitos importantes :

1) perda de peso : o sobrepeso é causa importante de dor na coluna e de dor nos joelhos. Para perder peso , não existe fórmula simples , quem a descobrir ficará rico . A dupla exercício-dieta ajuda muito na perda de peso , mas como fazer isso trabalhando o dia inteiro , comendo fora de casa  , não tendo tempo para se exercitar ?

2) exercícios : além de ajudar a perder peso , os exercícios de alongamento e fortalecimento da musculatura da região lombar , abdominal , glúteos e membros inferiores garantem uma proteção para a coluna como um todo , diminuindo a ocorrência de problemas nos discos intervertebrais , nos nervos paravertebrais e nas articulações da coluna e da coluna com a bacia . Mas como fazer os exercícios, como conciliar sua realização com esta rotina maluca a que estamos submetidos ? Difícil de dizer …

3) ergonomia : como ficamos muito tempo sentados na frente do computador , é importante que fiquemos bem acomodados , já que vícios posturais podem agravar problemas da coluna lombar . Assim , uma cadeira confortável , uma boa mesa , um telefone adequadamente posicionado contribuem para tornar o dia menos desgastante.

Enfim , o cenário parece meio desanimador . O que penso , na verdade , é que a nossa cidade ( e sociedade)  está (ão) doente (s) e seus moradores obviamente sofrem as consequências desta desorganização social. A qualidade de vida das pessoas está deteriorada e um longo trabalho de reorganização social terá que ser desenvolvido para um resolvermos os problemas físicos dos pacientes -moradores da nossa metrópole.

Atualização : ontem escrevi este post , hoje li na Folha uma interessante entrevista de um pensador italiano , na qual ele pondera :

TEORIA…

Hoje, a força de trabalho é composta apenas por um terço de operários, outro terço de trabalhadores intelectuais em funções executivas (bancário, recepcionista etc.) e um último terço de funcionários com atividades criativas (jornalista, profissional liberal, cientista etc.).

Se o trabalho for repetitivo, cansativo, chato, de subordinação, reduz-se a uma escravidão, a uma tortura, a um castigo bíblico. Nesse caso, a única defesa consiste em trabalhar o menos possível, pelo menor número de anos possível.

Mas se, em vez disso, for uma atividade intelectual e criativa –que corresponde à nossa vocação e ao nosso profissionalismo–, então ocupa toda nossa inteligência e satisfaz nossas necessidades de auto-realização. Nesse caso confunde-se o trabalho com o estudo e com o lazer, transformando o trabalho em ócio criativo.

Na vida pós-industrial, organizada para produzir principalmente ideias, não existe trabalho e não existe horário. Existe apenas ócio criativo, que dura 24 horas, mesmo quando se dorme e se produz ideias sonhando.

…E PRÁTICA

As empresas ainda não se deram conta deste novo momento global. A oferta de trabalho diminui e a procura por trabalho cresce, mas as empresas não reduzem a carga horária. Poderíamos trabalhar todos e pouco, mas alguns trabalham dez horas por dia enquanto seus filhos estão desempregados.

As tecnologias da informação possibilitam o teletrabalho, mas todos continuam a trabalhar nas empresas. A produção de ideias precisa de autonomia e de liberdade, mas as empresas tornam-se cada vez mais burocráticas. As distâncias culturais entre os chefes e os funcionários diminuem, mas as das faixas salariais aumentam. As empresas pregam colaboração, mas estimulam competitividade.

Calcificação do menisco do joelho

Começarei a fazer uma série de posts curtos baseados em imagens de ortopedia . Assim , publicarei imagens de radiografias , fotos , tomografias , ressonâncias magnéticas ou outros exames , com comentários resumidos pertinentes .

Hoje publico uma radiografia de um paciente masculino , de 82 anos , com dor e dificuldade para andar e mexer o joelho . Clinicamente apresentava sinais de artrose do joelho e a radiografia confirmou a suspeita , mostrando calcificações na região meniscal , o que não é tão comum .

Abaixo mostro a radiografia em questão , seguida por uma radiografia com sinais iniciais de artrose , porém sem calcificação meniscal

calcificacaomeniscal

raioxjoelho

Joelho inchado : qual é a causa e o que fazer ?

tiraraguadojoelho

Uma das queixas mais comuns na ortopedia é o inchaço  do joelho . Existem diversas causas que levam  a articulação do joelho ficar  inchada . Neste breve post , discutirei algumas das causas mais frequentes e darei orientações a respeito do que deve ser feito nestas situações . Como sinônimos do inchaço , poderíamos citar o termo derrame articular e também o termo popular ” água no joelho “.

Entre as causas mais comuns , destaco :

– lesão do menisco : o menisco é uma fibrocartilagem que ajuda na estabilidade do joelho e na absorção do impacto que existe entre o fêmur e a tíbia ( entre a coxa e a perna ) . Esta ” almofada ” pode sofrer rupturas traumáticas ( entorses , por exemplo ) ou degenerativas.  Quando o menisco está roto é comum o joelho inchar , particularmente após atividades mais intensas .

– lesão da cartilagem : a cartilagem é a  “capa” do osso , permitindo um movimento  suave da articulação . Ela também , como o menisco , pode sofrer rupturas traumáticas e degenerativas ( da própria idade )  e gerar um atrito adicional no joelho , levando a um processo irritativo local e inchaço .

– lesão dos ligamentos : os ligamentos internos do joelho ( cruzados ) e os ligamentos colaterais podem ser danificados após entorses e costumam gerar , nestas situações , inchaços volumosos no joelho .

– contusões ou fraturas : quando os ossos do joelho ( patela ,  fêmur , tíbia e fíbula )  sofrem traumas , quebrando ou não , o joelho pode inchar . Certamente que quando a fratura tem um traço até a  articulação , o inchaço costuma ser maior .

– infecções : quando um ” bicho ” ( bactéria , vírus , fungo ) consegue entrar na articulação do joelho e se prolifera , uma infecção muito perigosa se instala , podendo levar a uma destruição da cartilagem , com graves sequelas se o tratamento adequado não for prontamente realizado . O inchaço é um dos sinais iniciais da infecção , juntamente com o calor local e a dificuldade para dobrar e esticar o joelho   .

– processos reumáticos : doenças reumatológicas ( auto-imunes ) atacam um tecido chamado sinóvia , que produz o líquido articular , causando uma sinovite e também o desgaste da cartilagem , cursando com frequência com inchaço do joelho . Entre as doenças reumáticas , destacamos : artrite reumatóide e  lúpus . A gota , aqui considerada um tipo de reumatismo , caracteriza-se pelo aumento do ácido úrico no sangue e  pode causar também um inchaço nas juntas ( o joelho é bastante acometido nesta doença ) .

O tratamento do inchaço é baseado primeiramente na descoberta da causa , possibilitando um tratamento mais eficaz e direcionado para aquela doença  específica. Entre as medidas para diminuir o inchaço , destacamos :

– bolsa de gelo : realizada com bolsas térmicas de borracha , de gel ou de outros materiais . Deve-se ter cuidado para não termos uma queimadura térmica da pele . Uma dica é usar uma toalha fina evitando o contato direto com o gelo . Podemos usar várias vezes ao dia , por um perído de 10-20 minutos cada vez.

Deve-se evitar fazer gelo na região posterior ( de trás ) , local por onde passam vasos e nervos importante.

– repouso articular

– medicamentos anti-inflamatórios , prescritos pelo médico após exame ;

– punções : quando o inchaço é muito volumoso , podemos fazer uma punção de alívio , retirando boa parte daquele inchaço através de uma agulha e seringa. Além disso , a punção pode ajudar no diagnóstico , já que pode nos indicar , através das características do líquido aspirado , qual a causa do processo em curso . Assim, uma punção com pus nos faz pensar em uma infecção bacteriana , uma punção com sangue pode nos levar a suspeitar de uma lesão do ligamento cruzado , uma punção com cristais pode nos pensar de uma crise de gota.

puncaodojoelho