Recorrência (recidiva ) da luxação do ombro – fator etário

 

O ombro é uma das articulações que mais saem fora do lugar ( luxação , deslocamento  ) . E também apresenta uma característica peculiar no que diz respeito a ocorrência de recidiva (recorrência ) depois que houve o primeiro episodio : existe uma chance alta de o paciente apresentar um segundo ou múltiplos episódios subsequentes .

Quando a primeira luxação ocorre em pacientes abaixo dos 20 anos , a chance de recidiva é  altíssima , beirando a taxa de  90 % . Isso ocorre por conta de uma maior frouxidão tecidual destes pacientes , pelo tipo de lesão que acontece internamente no ombro após a primeira luxação e também porque estes pacientes estão mais sujeitos a atividades que colocam a articulação  sob risco de novo trauma . Este dado é importante e ajuda os médicos na indicação de cirurgia de estabilização para este grupo : é sensato indicar a cirurgia tão logo ocorra a primeira luxação , não se esperando que um segundo evento aconteça , esperando que um tratamento fisoterápico ou um um fortalecimento muscular resolva o problema.

Em contrapartida , pacientes acima dos 40-45 anos que sofrem seu primeiro deslocamento do ombro , tem uma chance menor de recorrência. Isso é explicado por uma maior ” rigidez ” articular neste grupo etário , porque este grupo normalmente ter uma demanda menor de atividades e também porque as lesões internas decorrentes da lesão são ligeiramente  diferentes daquelas dos mais jovens . Em pacientes mais velhos , acima dos 60 anos , a chance de ruptura de algum tendão do  manguito rotador ocorrer após uma luxação é  grande , o que pode modificar o tratamento .

O médico , sabendo destas estatísticas , poderá tomar uma decisão mais sábia . Obviamente que alguns pacientes mais jovens podem não necessitar de cirurgia e se beneficiar com o tratamento fisioterápico , da mesma forma que alguns pacientes mais idosos podem ter que fazer cirurgia para correção de uma instabilidade incapacitante. A experiência do médico e a análise cuidadosa de cada paciente determinam o tipo de tratamento .

Luxação anterior do ombro

Uma das mais frequentes luxações do corpo humano acontece no ombro , quando a cabeça do úmero se desloca da glenóide ( escápula ) .É conhecida também por luxação gleno-umeral .Na maior parte das vezes , o braço vai para frente , caracterizando uma luxação anterior . Usualmente está relacionada a  um trauma , mas também pode ocorrer de forma atraumática ( por uma frouxidão anormal dos ligamentos ).

Quando ocorre a luxação , podem ocorrer lesões nos ligamentos do ombro , tornando-os mais frouxos ou soltos , o que pode facilitar a ocorrência de novos episódios ( luxação recidivante ) . Podem ocorrer também fraturas ou lesões cartilaginosas que precisam ser identificadas para o correto entendimento do problema e direcionamento do tratamento .

O diagnóstico da luxação é feito pelo histórico , pelo exame físico , por exames como radiografias e ressonância magnética . O tratamento deve ser individualizado , considerando a idade , a atividade física e profissional do paciente, a existência de lesões associadas como as descritas acima , o número de episódios de luxação , entre outros fatores . Naqueles casos de luxação traumática em pacientes jovens, normalmente optamos pelo tratamento cirúrgico ,realizado habitualmente pela artroscopia , como pode ser exemplificado no vídeo abaixo :

Veja um pouco mais sobre este tema neste link .