Osteoartrose das mãos e deformidades nos dedos

É muito comum , principalmente entre as mulheres após os 60 anos , o aparecimento de deformidades nos dedos das mãos . Queixas como  ” meus dedos estão entortando ” ou  ” meus anéis não me servem mais ” são normalmente referidas ao ortopedista .
Na maior parte das vezes , trata-se de um processo degenerativo natural , chamado de osteoartrose ou osteoartrite . Os nódulos que aaparecem nas juntas dos dedos são chamados de nódulos de Heberden ( na interfalangeana distal ) e Bouchard ( na interfalangeana próximal) .

artose maos
O diagnostico é fácil e feito fundamentalmente pelo exame físico . As radiografias podem mostrar as deformidades ósseas e pequenos osteófitos locais ( saliências ósseas nas articulações ) .
Em relação ao tratamento , a orientação é o primeiro passo , esclarecendo o caráter benigno da situação . Se a dor estiver presente , algum analgésico ou anti-inflamatório pode ser prescrito . Também a fisioterapia analgésica pode ser solicitada. Alguns medicamentos anti-artrósicos , como diacereína ou glicosamina podem ser prescritos  . A cirurgia é uma alternativa muito raramente utilizada .

Redução de uma luxação de dedo da mão

Hoje mesmo tive que realizar um procedimento muito frequente no pronto-socorro de ortopedia : uma redução articular. Quando uma articulação perde sua congruência articular , damos o nome de luxação . Popularmente , fala-se que ” um osso saiu  fora do lugar ” . Diante desta situação , o médico ortopedista tentará , no tempo mais breve possível , reestabelecer a anatomia daquela articulção , ou seja , reduzir  a luxação ou deslocamento .

Existem técnicas específicas para redução dependendo do local anatômico afetado. No dia de hoje , reduzi uma luxação de dedo de uma senhora de 80 anos , que caíra cerca de 5 horas antes .

A rediografia inicial pode ser vista abaixo  :

Neste caso , a redução foi fácil , executando-se uma manobra de tração e encaixando a falange na sua posição correta . Após a redução , colocamos uma tala metálica para cicatrização das partes moles afetadas pelo trauma , conforme raio-x abaixo :

Fratura do boxer ( pugilista )

Uma fratura que costumamos ver com grande frequência nos pronto-socorros atinge a mão , mais precisamente o quinto metacarpo . A figura abaixo mostra exatamente onde ocorre esta fratura .

Ela classicamente é conhecida por fratura do boxer ( ou pugilista ) , muito embora seja pouco frequente nestes esportistas . Na verdade , ela é normalmente causada por um soco contra uma superfície dura , como uma parede (ou a face ) , num momento de nervosismo ou de briga . Os atletas do boxe , protegidos que estão , raramente sofrem esta fratura .  Quando indagamos o que ocorreu , muitas vezes os pacientes nos contam histórias engraçadas , tentando esconder  a verdadeira causa da fratura !

O seu diagnóstico é fácil : o local afetado fica inchado , dolorido e com uma pequena deformidade . A radiografia confirma a suspeita clínica .

O tratamento destas fraturas , em sua grande maioria , é simples . Uma imobilização com gesso ou com uma órtese plástica permitirá que o osso consolide numa posição adequada . Em alguns poucos casos , dependendo se houver um grande desvio ,o tratamento cirúrgico pode ser necessário.

Fratura dos ossos do antebraço – cirurgia

Recentemente atendi  um senhor de 72 anos , que caiu nas calçadas esburacadas de São Paulo, causando-lhe uma grave fratura dos ossos do antebraço esquerdo , além de escoriações na face .

A radiografia abaixo ilustra as fraturas dos ossos do rádio e da ulna. Interessante notar neste caso que o rádio já tinha uma deformidade prévia, decorrente de uma fratura do paciente quando jovem .

Neste caso, tratando -se de uma fratura com desvio em esqueleto adulto , o tratamento correto e imperativo é a cirurgia para alinhamento e fixação com placa e parafusos , como foi realizado e podemos observar abaixo:

Mordida ou mordedura de animais – visão ortopédica

Todos os anos milhões de pessoas são mordidas por animais, sendo a maioria delas ocasionada por cães  ou gatos . Os dedos da mão dominante são os locais mais acometidos , mas mordidas de animais também podem ocorrer sobre a região da cabeça, do pescoço e dos membros inferiores.

Uma grande preocupação sobre uma mordida de animal é a possibilidade da raiva. No Brasil, o número de casos de raiva humana caiu de 74 em 1990 para dez em 2002, sendo a  maioria dos casos de raiva resultado da mordida de um animal selvagem, como um gambá, morcego, ou guaxinim. Na Índia e países vizinhos ,mordidas de cão são a fonte mais comum de raiva. A raiva causa cerca de 55.000 mortes por ano no mundo.

Quando ocorre uma mordida , a conduta inicial é lavar com bastante água o local ferido . Podemos usar também um antisséptico ou um sabão neutro . Se houver um sangramento , um enfaixamento  compressivo pode estancar a perda sanguínea até uma avaliação posterior do médico . Deve-se evitar colocar a ferida em contato com a boca , já que esta é fonte de contaminação adicional . Se o animal for desconhecido , devemos tentar saber da sua situação vacinal em relação a raiva ou devemos manter o animal sob vigilância por um prazo de dez dias .

Procurando o serviço de saúde , o médico poderá avaliar melhor a ferida e um possível dano a estruturas adjacentes a pele ,  como nervos e tendões , encaminhando melhor o tratamentos destas lesões ( que poderá eventualmente necessitar de uma microcirurgia )   .  De uma forma geral , pequenas feridas podem ser deixadas abertas , sem sutura , evitando um processo infeccioso.  Antibióticos podem ser prescritos se houver sinais de infecção local .

Abaixo um resumo de como proceder em relação a raiva :

Em relação a prevenção destas lesões , cabem algumas dicas :

– Nunca deixe uma criança pequena sozinha com um animal doméstico.
– Não tente separar animais que estão brigando.
– Evite animais estranhos ou doentes.
– Deixe os animais sozinhos enquanto estiverem se alimentando.
– Mantenha seus cães na coleira quando estiver em público.

Tenossinovite de Quervain

A tendinite ou tenossinovite de Quervain é uma inflamação dos tendões que mexem o polegar , mais precisamente os tendões dos músculos abdutor longo e extensor curto do polegar . Estes tendões estão ilustrados na figura abaixo :

A causa mais comum de Tenossinovite de Quervain é o uso excessivo do polegar e do punho Às vezes, a doença se desenvolve sem razão conhecida. Atualmente, o uso de aparelhos celulares também tem causado esta doença. É frequente em mães que costumam segurar os filhos para amamentá-los e limpá-los .

O paciente apresenta-se com dor nesta região , com dificuldade para realizar movimentos do polegar . Pode haver um pequeno inchaço no local e algumas vezes também pode-se ter a sensação de crepitação com o movimento .

O diagnóstico é fácil , na maioria das vezes não é necessário nenhum exame complementar .

O tratamento pode envolver diversas abordagens :

– repouso ;

– gelo , fisioterapia ,medicação ;

– uso de órteses ;

– infiltração local com corticóide ;

– cirurgia naqueles casos que não melhoram com os tratamentos acima descritos.

Gota e artrite gotosa

Ontem , atendendo no pronto-socorro , um paciente queixou-se de dor súbita no pé ao acordar. Na noite anterior , tinha jogado seu futebol e comido um churrasquinho com os amigos . E tinha certeza que não tivera nenhum trauma . Chegou mancando , de chinelo , e mostrou-me seu ” dedão ” inchado , dolorido e vermelho.

Solicitei um exame de sangue para avaliar seu ácido úrico sanguíneo : 8,6 . A história acima é bastante sugestiva de uma inflamação aguda conhecida por gota . Trata-se de uma condição que ocorre quando os níveis de ácido úrico sanguíneo aumentam significativamente ( acima de 7,0 )  e existe uma deposição de cristais de urato , preferencialmente nas articulações e tecidos periarticulares  (  pé , tornozelo , joelho , cotovelo e mãos são as mais acometidas e quando atinge o hálux – dedão do pé – chamamos de podagra).

O ácido úrico é uma substância derivada do metabolismo de uma proteína chamada purina . Quando mais purina ingerimos, mais ácido úrico produziremos.  Alguns  alimentos ricos em purinas  :  carnes ( bacon , porco, miúdos -fígado , coração , rim , língua ) ;  peixes e frutos do mar ( salmão ,sardinha, bacalhau , camarão ) ;  aves ( peru e ganso ); bebidas alcoólicas ; leguminosas ( feijão , grão-de-bico , ervilha , lentilha) . Alguns alimentos com pouca purina : leite , chá , chocolate , cereais , arroz , batata , vegetais , doces e frutas .

Além da alimentação rica em purinas que contribui para o aparecimento da gota , outros fatores também conhecidos são : obesidade , longos períodos em jejum , uso de medicamentos como diuréticos .

O tratamento da gota pode ser dividido em duas fases :

1) tratamento da dor aguda : normalmente utilizamos anti-inflamatórios, recomendamos o uso de gelo e repouso ;

2) diminuição do ácido úrico : dieta adequada e uso de alguns medicamentos que reduzem o ácido úrico , como o alopurinol. Além disso , outras situações descritas acima que fazem o ácido aumentar devem ser abordadas convenientemente .

Acho interessante também me alongar em 2 outros aspectos :

1) existem pacientes com hiperuricemia assintomáticos . Devem receber orientação dietética e observação , não necessitando de medicação;

2) pacientes com quadros crônicos e mal-tratados podem desenvolver quadros chamados de tofos gotosos , em que ocorre grande deposição de cristais nas articulações , como demonstram as figuras abaixo :