Dor nas costas : fácil solução , difícil resolução . A vida caótica das grandes cidades e a medicina …

Hoje atendi uma senhorita de 30 anos com uma história bastante comum presente no consultório dos ortopedistas . Ela se queixava de dores nas costas , desde a região dorsal ( meio das costas ) , passando pela lombar e com irradiação para a coxa direita . A dor já vinha lhe incomodando há mais de 1 ano mas tinha piorado no último mês . Também se queixava de desconforto no joelho .

Com este quadro , de imediato já pensamos num problema mecânico na coluna , com irritação do nervo ciático ( irradiação para as pernas ) . Pergunto sobre a sua rotina diária : mora no ABC paulista , acorda às 6h , pega o transporte para o centro de São Paulo e chega ao serviço às 8h . Durante seu expediente , fica sentada na frente do computador na maior parte do tempo. Trabalha até as 17, 18h e depois retorna para a sua casa , chegando por volta das 20h , quando trânsito ajuda ! Tem um tempinho para as crianças , para o marido talvez , e o outro dia já está começando . Final de semana reserva para as coisas de casa e um pouquinho para os pequenos . São histórias parecidas como esta que ouvimos muitas e muitas vezes dos nossos pacientes . A vida moderna não está nada fácil nos grandes centros . Estamos escravos do trabalho e parece que vivemos para trabalhar e não que trabalhamos para viver .

Faço o exame físico , percebo que a paciente está gordinha ( pesa 78 kg , há um ano pesava 71 , o que dá um ganho de 10% ) . As dores na musculatura paravertebral ( ao lado da coluna , que ajuda a sustentá-la ) estão presentes , mas sem nenhuma gravidade maior . A falta de flexibilidade também me chama a atenção . O joelho apresenta uma crepitação , faz um crec-crec , parecendo faltar lubrificação .

Complemento com exames de raio-x simples . Eles me mostram uma pequena escoliose ,que a paciente já dissera possuir desde os 15 anos . Nada significativo , nada grave .
Caso solucionado : lombalgia mecânica , com irritação do nervo ciático , condropatia ( inflamação da cartilagem ) do joelho .

Se o diagnóstico foi fácil , a resolução do problema parece mais difícil . Prescrevi inicialmente uma medicação anti-inflamatória e algumas sessões de fisioterapia . A tomada do remédio e o alívio imediato da dor são a parte mais simples do tratamento . A realização da fisioterapia é factível , é um pouco chata de realizar , mas também pode ser cumprida pela maioria dos pacientes . Mas o resto do tratamento , que considero mais importante , é difícil de ser realizado , exigindo paciência ,  dedicação , perseverança e ….TEMPO .

Para resolvermos o problema da coluna , teremos que trabalhar alguns conceitos importantes :

1) perda de peso : o sobrepeso é causa importante de dor na coluna e de dor nos joelhos. Para perder peso , não existe fórmula simples , quem a descobrir ficará rico . A dupla exercício-dieta ajuda muito na perda de peso , mas como fazer isso trabalhando o dia inteiro , comendo fora de casa  , não tendo tempo para se exercitar ?

2) exercícios : além de ajudar a perder peso , os exercícios de alongamento e fortalecimento da musculatura da região lombar , abdominal , glúteos e membros inferiores garantem uma proteção para a coluna como um todo , diminuindo a ocorrência de problemas nos discos intervertebrais , nos nervos paravertebrais e nas articulações da coluna e da coluna com a bacia . Mas como fazer os exercícios, como conciliar sua realização com esta rotina maluca a que estamos submetidos ? Difícil de dizer …

3) ergonomia : como ficamos muito tempo sentados na frente do computador , é importante que fiquemos bem acomodados , já que vícios posturais podem agravar problemas da coluna lombar . Assim , uma cadeira confortável , uma boa mesa , um telefone adequadamente posicionado contribuem para tornar o dia menos desgastante.

Enfim , o cenário parece meio desanimador . O que penso , na verdade , é que a nossa cidade ( e sociedade)  está (ão) doente (s) e seus moradores obviamente sofrem as consequências desta desorganização social. A qualidade de vida das pessoas está deteriorada e um longo trabalho de reorganização social terá que ser desenvolvido para um resolvermos os problemas físicos dos pacientes -moradores da nossa metrópole.

Atualização : ontem escrevi este post , hoje li na Folha uma interessante entrevista de um pensador italiano , na qual ele pondera :

TEORIA…

Hoje, a força de trabalho é composta apenas por um terço de operários, outro terço de trabalhadores intelectuais em funções executivas (bancário, recepcionista etc.) e um último terço de funcionários com atividades criativas (jornalista, profissional liberal, cientista etc.).

Se o trabalho for repetitivo, cansativo, chato, de subordinação, reduz-se a uma escravidão, a uma tortura, a um castigo bíblico. Nesse caso, a única defesa consiste em trabalhar o menos possível, pelo menor número de anos possível.

Mas se, em vez disso, for uma atividade intelectual e criativa –que corresponde à nossa vocação e ao nosso profissionalismo–, então ocupa toda nossa inteligência e satisfaz nossas necessidades de auto-realização. Nesse caso confunde-se o trabalho com o estudo e com o lazer, transformando o trabalho em ócio criativo.

Na vida pós-industrial, organizada para produzir principalmente ideias, não existe trabalho e não existe horário. Existe apenas ócio criativo, que dura 24 horas, mesmo quando se dorme e se produz ideias sonhando.

…E PRÁTICA

As empresas ainda não se deram conta deste novo momento global. A oferta de trabalho diminui e a procura por trabalho cresce, mas as empresas não reduzem a carga horária. Poderíamos trabalhar todos e pouco, mas alguns trabalham dez horas por dia enquanto seus filhos estão desempregados.

As tecnologias da informação possibilitam o teletrabalho, mas todos continuam a trabalhar nas empresas. A produção de ideias precisa de autonomia e de liberdade, mas as empresas tornam-se cada vez mais burocráticas. As distâncias culturais entre os chefes e os funcionários diminuem, mas as das faixas salariais aumentam. As empresas pregam colaboração, mas estimulam competitividade.

Anúncios

Dor nas costas e ortopedia – o que é importante saber

A queixa de dor nas costas está entre as condições médicas mais comuns , está paro o ortopedista como a gripe está para o clínico geral . Felizmente, os pacientes devem entender que a maioria dos episódios de dor nas costas vai ser resolvida sem maiores complicações . E , geralmente, dentro de algumas semanas.

Compreender a causa da sua dor nas costas é a chave para o tratamento adequado. Como a dor nas costas às vezes é difícil de tratar, uma melhor compreensão da causa da sua condição vai ajudar na sua recuperação.

 Causas de dor nas costas:

0) Sobrepeso e sedentarismo : são na minha opinião os principais motivos que geram as dores da coluna e desencadeiam os fatores abordados abaixo . Sendo assim , no tratamento destas dores , a pessoa normalmente terá de perder peso e terá de fazer alguma atividade física  ;

1) Dores musculares :tensões musculares são a causa mais comum de dor lombar. Pacientes podem ou não se lembrar do evento inicial que desencadeou o seu espasmo muscular, mas a boa notícia é que a maioria dos episódios de dor nas costas devido a tensões musculares resolver-se-á completamente dentro de poucas semanas.

 2) Hérnia de Disco : Um disco intervertebral roto, também chamado de hérnia de disco, é outra causa comum de dor nas costas. O tratamento de uma hérnia de disco depende do indivíduo e da situação.

3) Dor discogênica (discopatia) :dor nas costas de origem discogênica é o resultado de dano ao disco intervertabral, mas sem hérnia de disco . O diagnóstico de dor nas costas discogênica pode exigir a utilização de uma ressonância .

4) Estenose da coluna vertebral : a estenose espinhal provoca dores nas costas geralmente na população idosa. À medida que envelhecemos, o canal medular pode se tornar restrito, em parte devido à artrite e outras condições. Se o canal vertebral torna-se demasiado apertado, a dor nas costas poderá aparecer.

5) Artrite ou artrose da coluna lombar : a artrite mais comumente afeta as articulações, como joelhos e dedos. No entanto, a artrite pode afetar qualquer articulação do corpo, incluindo as pequenas articulações da coluna vertebral. A artrose da coluna vertebral pode causar dor nas costas com o movimento. Conhecida popularmente como ” bico de papagaio” .

6) Espondilolistese :a  espondilolistese causa dor nas costas porque as vértebras adjacentes tornam-se instáveis e começam a “escorregar”. A causa mais comum de espondilolistese é devido a alterações degenerativas causando danos nas estruturas estabilizadoras normais da coluna vertebral. Se a coluna se torna instável o suficiente, a dor nas costas podem se tornar um problema.

7) Osteoporose : a osteoporose pode causar uma série de problemas ortopédicos e desconforto generalizado. A dor nas costas relacionada a osteoporose ocorre por fraturas de vértebras que são comprimidas . A osteoporose torna os ossos fracos e pode levar a estas fraturas.