Densitometria óssea – quando fazer e quando repetir ?

Um teste de densidade óssea diz se você tem uma densidade óssea normal, baixa densidade óssea (osteopenia) ou osteoporose. É o único teste que pode diagnosticar a osteoporose. A baixa densidade óssea aumenta o risco de um osso ser fraturado. Um teste de densidade óssea pode ajudar você e seu médico:

  • saberem se você tem “ossos fracos” ou osteoporose antes que você quebre um osso;
  • preverem a sua chance de quebrar um osso no futuro;
  • acompanharem se a sua densidade óssea está melhorando, piorando ou permanecendo a mesma ao longo do   tempo ;
  • descobrirem se um medicamento para osteoporose está sendo eficaz ;
  • descobrirem se você tem osteoporose depois de uma fratura ;

As indicações para que este exame seja solicitado são :

  • mulher de idade de 65 anos ou mais ;
  • homem de idade de 70 anos ou mais ;
  • se você quebrar um osso após os 50 anos ;
  • se você é uma mulher na menopausa com fatores de risco ;
  • se você é uma mulher pós-menopausa com idade inferior a 65 anos com fatores de risco ;
  • se você é um homem de idade 50-69 com fatores de risco .

Um teste de densidade óssea também pode ser necessária se você tiver qualquer uma das seguintes situações:

  • um raio-X da coluna mostrando um achatamento de uma vértebra ;
  • dor nas costas com uma possível fratura em sua coluna ; 
  • perda de altura de 2,5cm ou mais dentro de um ano
  • perda de altura total de 4cm de sua altura original .

Alguns pacientes procuram o médico com o desejo de saber se tem osteoporose e percebo que ‘as vezes este exame é realizado sem um critério objetivo .  Muitos pacientes realizam este exame anualmente, mesmo quando tem uma densitometria óssea normal . Os critérios acima ajudam os médicos a solicitar este exame com mais racionalidade e evitam assim perda de tempo e de dinheiro a todos os envolvidos no sistema de saúde.

Um artigo recente publicado no New England Journal of Medicine  estudou mais de 5000 mulheres  por mais de 10 anos.  Este grupo tinha mais de 67 anos e não tinha OSTEOPOROSE  . Observaram que desenvolveram osteoporose  após 15 anos :

– apenas 1% das pessoas com densidade óssea normal ,

– por volta de 5%  das pessoas com leve-moderada osteopenia ,

– cerca de 10% daquelas que inicialmente tinham uma osteopenia mais importante ( quase osteoporose ) .

Os pesquisadores ficaram muito surpresos como a osteoporose progride muito lentamente . E assim concluiram ,que na maior parte dos casos , a densitometria pode ser pedida com um espaço bem grande de tempo ( 5- 10 anos de intervalo ) .

Veja mais :

Patients With Normal Bone Density Can Delay Retests, Study Suggests ( New York Times )

Osteoporose – mitos e verdades 

Anúncios

Osteoporose : mitos e verdades – saiba mais

Por que devemos nos preocupar com a osteoporose? O problema são as fraturas  que podem ocorrer em pessoas com osteoporose. Elas causam enorme sofrimento, muitas vezes requerem cirurgia e podem levar à perda de independência ou até mesmo a morte. As estimativas atuais sugerem que metade das mulheres acima de 50 anos sofrerá uma fratura relacionada à osteoporose.
Infelizmente, há muito desentendimento sobre a osteoporose. Então, vamos falar sobre alguns dos mitos para melhor compreendê-la.
“Osteo” significa osso e “porose” refere-se a qualidade do osso poroso. Ossos porosos têm menos conexões dentro dos ossos do que o necessário para a resistência óssea ideal. Assim como uma ponte com muito poucos suportes de apoio pode ser propensa a entrar em colapso, as pessoas com osteoporose são propensas a fraturas ósseas, especialmente no quadril ,bacia, coluna e punho.

Mitos e Verdades

Mito 1: A osteoporose é dolorosa.
Este é provavelmente o mito mais comum. Na verdade, a osteoporose não causa sintomas a menos que um  osso quebre. Na verdade, a maioria das pessoas com osteoporose não sabe  ser portador  até que um osso se quebre ou que o diagnóstico através de um teste de densidade mineral óssea (densitometria) seja realizado .

Mito 2: Você tem que cair para quebrar um osso devido à osteoporose.
Na verdade, certas fraturas, especialmente aquelas da coluna (chamadas de fraturas por compressão) podem  acontecer sem uma queda ou qualquer outra lesão reconhecida.

Mito 3: Todas as fraturas osteoporóticas são dolorosas.
É verdade que quando você quebra um osso, você vai sentir dor. E fraturas da pelve, quadril ou punho devido à osteoporose são quase sempre dolorosas. Mas  fraturas por compressão, como mencionado acima, podem se desenvolver gradualmente e sem dor, fazendo com que o osso da coluna, normalmente retangular , se transforme em  um triângulo. É uma das razões para as pessoas com osteoporose muitas vezes perderem altura e ficarem com uma postura arqueada ( cifose ou corcunda).

Mito 4: A osteoporose é improvável  se sua postura for  normal.
A outra parte deste mito é que uma postura curvada é uma causa de osteoporose. Enquanto fraturas por compressão podem causar a espinha a dobrar para a frente (uma condição chamada de cifose), muitas pessoas com osteoporose tem uma postura perfeitamente normal. “Má postura”  não causa osteoporose e não faz osteoporose existente pior. O oposto também é verdade: boa postura não previne a osteoporose.

Mito 5: Somente mulheres pós-menopáusicas terão  osteoporose.
Enquanto a osteoporose é 4-5 vezes mais comum entre mulheres do que homens (e afeta principalmente mulheres na pós-menopausa), cerca de 25% dos homens vão quebrar um osso devido à osteoporose em algum momento de suas vidas. Em pessoas mais jovens, muitas vezes há pelo menos um fator de risco para a doença, especialmente história familiar ou uso de medicamentos chamados corticosteróides. Entre os homens, a idade avançada e baixos níveis de testosterona são fatores de risco importantes.

Mito 6: Cálcio e vitamina D são os tratamentos adequados para a maioria dos casos de osteoporose.
Embora esses nutrientes sejam  necessários para reconstruir a massa óssea perdida, eles raramente são suficientes por si sós para reverter a osteoporose. Para reconstruir o osso, os médicos prescrevem medicamentos denominados bifosfonatos, tais como o alendronato (Fosamax) ou risedronato (Actonel).

Mito  7: O tratamento agressivo de osteopenia (às vezes chamado de “pré-osteoporose”) é sempre necessário.
A “osteopenia” significa “muito pouco osso.” Não é uma doença. Refere-se a baixa massa óssea, que não é grave o suficiente para indicar a osteoporose. Osteopenia só aumenta ligeiramente o risco de fratura. É por isso que o cálcio, vitamina D e exercícios (as recomendações padrão para mulheres na pós-menopausa, mesmo com massa óssea normal) podem ser tudo que é necessário para manter a saúde óssea. Se você tem osteopenia, converse com seu médico sobre se você precisa fazer algo além do que as medidas de rotina para a saúde óssea.

Mito  8: A osteoporose é inevitável.
Enquanto ficar velho é o maior fator de risco para osteoporose, muitos idosos não vão desenvolver o transtorno. Cálcio dietético ou suplementar, vitamina D, exercícios físicos e bons genes, provavelmente, desempenham um papel protetor. Evitar fatores de risco também é importante. Além da idade, fatores de risco incluem:
• Ser uma mulher na pós-menopausa ou um homem com idade acima de 70
• Ser acamado ou sedentário
• Ter baixo peso corporal
• Fumar
• Ter baixo nível de testosterona (em homens)
• Tomar certos medicamentos (como corticóides, drogas anti-estrógeno , ou alguns medicamentos anti-hipertensivos)
• Ter certas condições médicas, incluindo artrite reumatóide, doença renal crônica, ou um distúrbio alimentar
• Ser caucasiano
• Alcoolismo
• Ter uma história familiar de osteoporose
• Ter uma baixa ingestão de cálcio

Mito 9: A osteoporose não é um grande problema.
Para as pessoas que se sentem bem e sabem que tem osteoporose a partir de um teste de densidade óssea, ela pode não parecer um problema importante. Exercícios físicos, o tratamento com cálcio, vitamina D e uma medicação apropriada pode ser recomendada. Mas, para a pessoa que cai e quebra o quadril, é um problema muito grande. Além da dor, há o risco de complicações da cirurgia de quadril para se preocupar. Cerca de 20% das pessoas que sofrem uma fratura de quadril por osteoporose perdem a sua independência. E, até 25% das pessoas acima de 50 anos com uma fratura osteoporótica de fêmur morrem dentro de um ano. Custos de saúde associados com fraturas relacionadas à osteoporose são mais de US $ 20 bilhões, e este número está aumentando drasticamente à medida que a população envelhece. É um grande problema.

Mito 10: É impossível ter bons ossos além de uma certa idade.
É verdade que nós alcançamos nossa maior densidade óssea em idade adulta com cerca de 20 ou 25 anos de idade . Depois disso, a massa óssea tende a cair. No entanto, estudos mostram que exercícios de resistência podem modelar ossos bons até mesmo entre adultos mais velhos. E  medicamentos específicos para a osteoporose podem aumentar a massa óssea entre os idosos, bem como adultos jovens .

Veja um outro artigo meu sobre osteoporose.

Brasileiro comendo mal…

Uma interessante pesquisa do IBGE mostrou alguns dados a respeito da dieta da população brasileira . E , de uma maneira geral , evidenciou que o brasileiro médio está comendo mal , ingerindo poucas frutas , verduras e legumes . E consumindo bastante o tradicional arroz com feijão junto com outras comidas de alto valor energético porém pouco valor nutricional .

O consumo de sal está elevado e isso contribui para o aumento do risco de aparecimento de doenças como hipertensão arterial, doenças cardiovasculares e doenças renais.

Já o consumo de cálcio está abaixo do recomendado e também contribui para aumentar a chance de osteoporose .

Veja mais dados a respeito desta pesquisa neste link.

E você , está comendo bem ?

 

Osteoporose x Osteoartrose

Comumente atendo pacientes que utilizam os termos osteoporose e osteoartrose de forma equivocada . Cabe a nós , médicos ,  o esclarecimento desta questão :

joelho com artrose

– a osteoartrose refere-se ao desgaste da cartilagem articular  , substância que recobre os ossos nas articulações do corpo , permitindo uma movimentação suave e sem dor . Existem termos que denotam o mesmo problema : artrite degenerativa , artrose , ” bico de papagaio “(termo leigo para artrose da coluna vertebral ) . As causas são variadas : degeneração pela idade , trauma pregresso , sobrepeso , distúrbio reumatológico , infecção , entre outros . O tratamento deve ser individualizado , existem tratamentos clínicos  com medicamentos, com fisioterapia , com infiltrações e em alguns casos a  cirurgia deve ser empregada.

– a osteoporose refere-se a uma perda da densidade mineral óssea , tornando o osso mais poroso e mais sujeito a fraturas . Com o passar dos anos , o metabolismo ósseo vai se alterando e o  corpo vai retirando mais cálcio dos ossos , deixando-o mais poroso . Esse mecanismo é mais evidente na mulher após a menopausa , pelas alterações hormonais . Mas também está presente nos homens. Existem meios de realizarmos a detecção e tratamento desta doença , minimizando os riscos de fraturas osteoporóticas . A densitometria óssea é um exame simples e que permite o diagnóstico preciso da osteoporose.  Entre os tratamentos , destacamos : exercícios físicos, dieta rica em cálcio , suplementação de  cálcio e vitamina D , exposição ao sol nos horários adequados , reposição hormonal .

Veja um outro artigo meu sobre osteoporose.